Combate ao desmatamento e construindo resiliência às mudanças climáticas

O programa Cocoa Life está comprometido com a erradicação do desmatamento, com a manutenção dos ecossistemas de cacau e com a proteção das terras e florestas – essa é a nossa promessa para as próximas gerações.

Produtores de cacau comprovam os impactos das alterações climáticas e, se não tomarmos uma atitude, as regiões atuais de produção de cacau não serão mais produtivas nos próximos 30 anos.

Por meio do programa Cocoa Life, investimos em treinamento para os produtores e na adoção de boas práticas que podem incluir agrossilvicultura, mobilização das comunidades para proteger as florestas, plantação de árvores e muito mais. Mas, não podemos fazer isso sozinhos. As parcerias são fundamentais para a constância da mudança e nos empenhamos junto com outros representantes do setor e governo para implantar as políticas e os projetos necessários.

climate change icon
O Problema
Desmatamento
gowth cycle

O desmatamento perturba os padrões climáticos locais e provoca emissões de carbono, contribuindo para a mudança climática global. À medida que os padrões climáticos evoluem, como altas temperaturas e secas, os produtores não conseguem cultivar tanto cacau. Eles são forçados a expandir para novas áreas, desencadeando um ciclo vicioso.

Costa do Marfim e Gana, por exemplo, fornecem cerca de 60% do cacau do mundo, mas também apresentam altas taxas de desmatamento estimadas em 2,7% e 2,9%, respectivamente. Alguns relatórios mostram que as atuais regiões produtoras de cacau podem não ser mais adequadas para a produção de cacau nos próximos 30 anos, se não tomarmos medidas. Os produtores de cacau já estão vendo a mudança climática e estão se voltando para nós em busca de conselhos.

Nossa Estratégia e o Progresso
cocoa gathering

Cocoa Life está protegendo o meio ambiente e o ecossistema onde o cacau está sendo cultivado. Fornecemos treinamento em práticas sustentáveis para aumentar a produtividade, proteger as florestas e tornar as nossas comunidades mais resistentes às mudanças climáticas. A nossa estratégia está focada em três áreas:

Produção:

  • Treinar os agricultores sobre Boas Práticas Agrícolas (GAP) para aumentar os rendimentos do cacau e promover meios de subsistência sustentáveis para permitir que os agricultores sejam mais resilientes aos impactos das alterações climáticas.
  • Progresso até o momento:
    • Treinamento para mais de 175.000 produtores até o fim de 2019 em boas práticas agrícolas, em como usar melhor os pesticidas e como plantar árvores para ter sombras.
    • Distribuição de mais de 10,8 milhões de mudas de cacau para aumentar a produtividade.
    • Plantou mais de 1,1 milhões de árvores não cacaueiras em fazendas de cacau no Gana, mais de 176 mil na Costa do Marfim e 58 mil na Indonésia. As árvores não cacaueiras tornam as fazendas de cacau mais produtivas. Através da diversificação e do fornecimento de sombra, ajudam a absorver as emissões de carbono e, assim, contribuem para combater as alterações climáticas. Tais práticas estão associadas com agroflorestais.
    • Nossa equipe de agro-pesquisa tem trabalhado em pilotos agroflorestais para obter uma melhor compreensão de como tornar as fazendas mais resilientes aos impactos das alterações climáticas. Saiba mais no nosso último relatório do CFI aqui.

Proteção:

  • Mapeamento de todas as lavouras registradas pelo Cocoa Life para identificação de áreas de risco, e com o Global Forest Watch, monitora-se a perda de cobertura das árvores e a restauração de florestas degradadas.
  • Progresso até o momento:
    • Mapeava mais de 149 mil fazendas no Gana, na Costa do Marfim e Indonésia.
    • Usamos imagens de satélite usando soluções como Global Forest Watch para identificar potenciais sinais de perda de cobertura e risco de desmatamento em nossa cadeia de suprimentos.
    • Lançou o primeiro aplicativo de registro de árvores para os agricultores no Gana, que lhes permite registrar suas árvores digitalmente através de smartphone e capacitá-los a capturar o valor total das árvores através da propriedade.
    • Dirigiu uma avaliação de risco de desmatamento na Costa do Marfim, e cobriu 125,924 ha de florestas até o final de 2019.

Pessoas:

  • Fornecimento de suporte financeiro para os produtores e os membros da comunidade, reforçando a capacidade de resistência e assegurando que os Planos de Ação Comunitária priorizem a proteção das florestas.
  • Progresso até o momento:
    • Projeto piloto com sucesso na Costa do Marfim para os produtores e as comunidades que adotam as boas práticas do uso da terra. No final de 2019, 1.062 agricultores tinham assinado contratos para receber pagamentos em troca da plantação de árvores não cacaueiras nas suas explorações e para proteger e renovar as áreas florestais (Pagamento pelos Serviços Ambientais PES)).
    • Ajudamos as mulheres nas comunidades do cacau a administrar três viveiros florestais que fornecem árvores tais como a acácia, o mogno, e árvores frutíferas para os produtores de cacau e servem como uma fonte de renda adicional. Estamos executando um projeto piloto na Costa do Marfim, em parceria com seis Associação de Poupança e Empréstimo da Vila (VSLAs) com 3 viveiros e produzimos 150.000 mudas de árvores de alimentos e madeira. Os rendimentos provenientes das árvores retornam para a VSLA.

"O desmatamento ilegal em nossa cadeia de fornecimento de cacau é inaceitável. Trabalhamos com nosso programa e parceiros governamentais para lidar com esses casos: identificamos áreas de risco mapeando todas as fazendas registradas em nosso programa Cocoa Life e incentivamos a conservação das florestas, atividades agroflorestais, e o reflorestamento. CCombater o desmatamento é um desafio ainda necessário, e queremos liderar implementando e compartilhando lições aprendidas. Nosso compromisso público é trabalhar no solo, atacar as causas-raízes e fazer parcerias com governos e outros. A hora de agir juntos é agora e rápida!"

Cedric van Cutsem, diretor adjunto de operações globais do Cocoa Life para Mondelēz International

Marcos
community village woman

Nos comprometemos em liderar a mudança do setor e alcançamos grandes marcos no decorrer dos anos.

  • 2014: Endossamento da Declaração das Florestas de Nova Iorque, em busca da erradicação do desmatamento.
  • 2015: Compromisso com a liderança no setor privado nos debates climáticos COP21 em Paris, como parte do programa nacional da Costa do Marfim para combater o desmatamento.
  • 2017:
    • Estabelecimento da iniciativa “Cacau e Florestas” com a Fundação Mundial do Cacau, a Unidade de Sustentabilidade Internacional do Príncipe de Wales e 11 outras empresas de cacau e chocolate para enfrentar o desmatamento e a degradação florestal.
    • Divulgação das Estruturas para Ação da Iniciativa do Cacau e Florestas na Conferência sobre Mudança Climática da ONU (COP23) com os governos na Costa do Marfim e Gana.
    • Assinatura de um Memorando de Entendimento com o Ministério do Meio Ambiente na Costa do Marfim para apoiar a ambição corajosa do país de alcançar desmatamento zero no cutivo do cacau.
    • Início do primeiro projeto de REDD+ na região de Nawa da Costa do Marfim, com mapeamento de 85% das fazendas de cacau para identificar e monitorar as áreas de risco de desmatamento, e criar planos para o uso da terra.
    • Publicação do documento de debate conjunto com o Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (UNDP), uma exploração de como os setores públicos e privados podem trabalhar juntos para reduzir o desmatamento da Costa do Marfim.
  • 2018:
    • Assinatura de um Memorando de Entendimento com a UNDP, Comissão Florestal de Gana e Conselho do Cacau de Gana para reduzir as emissões de desmatamento e degradação florestal na cadeia de fornecimento de cacau em todo o país.
    • Compromisso de publicar um plano de ação por meio da Iniciativa do Cacau e Florestas, com o setor e os parceiros governamentais de Gana.
    • Publicação de um estudo de impacto das alterações climáticas do cacau em parceria com o Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT).
    • Expansão do Cocoa Life no Brasil, incluindo o estabelecimento de modelos funcionais de agrossilvicultura como parte de projetos de cultivo abrangentes para a restauração de terras degradadas na floresta amazônica.
  • 2019: Publicação de planos de ação ambiciosos para a proteção e restauração das áreas de cultivo de cacau em toda a Costa do Marfim, Gana e Indonésia, como parte da Iniciativa de Cacau e Florestas.
  • 2020:Publicou o primeiro relatório de progresso do CFI da Cocoa Life sobre a implementação dos nossos planos de ação.
  • Em Progresso: Parceria continuada com o Conselho de Cacau de Gana e a UNDP para a distribuição de árvores que produzirão sombras e o fornecimento da gestão de recursos naturais e ferramentas de gestão para os produtores de cacau e suas comunidades.

"Acreditamos que as parcerias público-privadas são essenciais para a transformação do setor de cacau e também no combate ao desmatamento por combinar os recursos e competências de governos, doadores, indústria, fornecedores e - mais importante - produtores, trabalhando todos juntos. Estou maravilhado que o setor do cacau concordou em trabalhar junto com a Iniciativa do Cacau e Florestas."

Hubert Weber, vice presidente executivo e presidente da Mondelēz Europa

Juventude empreendedora

O programa Cocoa Life treina jovens para o empreendedorismo relacionado ao cacau, oferecendo oportunidades para trabalhar junto com os produtores de cacau. Os jovens aprendem boas práticas agrícolas, ambientais e comerciais. Na Indonésia, um grupo de jovens começou um novo projeto para aplicar essas habilidades. O projeto consiste em transformar resíduos orgânicos (ex., plantas) em adubo natural e revender para os produtores. Quando os jovens são empoderados, podem se tornar agentes eficazes da mudança.