Uma história abordando o trabalho infantil em Gana e Costa do Marfim
"Uma abordagem centrada na criança e focada em seu bem-estar é a única forma sustentável de falar sobre trabalho infantil."

Von Aarti Kapoor, Diretora Geral da Embode

Ao longo dos anos, o Cocoa Life tem trabalhando para eliminar o trabalho infantil em comunidades de cultivo do cacau abordando diretamente as causas raiz do trabalho infantil, incluindo: relativa pobreza dos agricultores, falta de infraestrutura, e o difícil acesso às escolas e saúde. Nossas ONGs parceiras, como CARE Internatcional e Soliedariead, aumentam a conscientização sobre a mão de obra infantil nas comunidades de cultivo do cacau com o treinamento para crianças e pais. As iniciativas do Cocoa Life ajudam a melhorar a vivência dos trabalhadores, empoderar mulheres e promover a educação. Como parte desse comprometimento, o Cocoa Life fez uma parceria com a Embode, uma consultadora independente de direitos humanos, qual analisou ambientes e infraestruturas nacionais de proteção à criança na Costa do Marfim, Gana e na Indonésia. Aarti Kapoor, diretora geral da compartilha sua opinião:

Apesar das nossas melhores intenções, não é possível acabar com a mão de obra infantil por focar apenas no problema sozinho. Trabalho infantil não ocorre por nada, é causado por múltiplas questões socioeconômicas e fatores culturais que colocam as crianças sob este risco. Depois de conversar com as famílias e crianças em numerosas comunidades de cultivo do cacau1 na Costa do Marfim e Gana, e discutir as questões com órgãos governamentais, corporações e ONGS importantes nos dois países, chegamos a conclusão que uma abordagem holística centrada na criança, é a única forma sustentável de tratar o trabalho infantil.

Responder ao trabalho infantil na Costa do Marfim e Gana trata-se mais do aumentar a sensibilização ao assunto e adotar uma abordagem de conformidade, que pode ser, muitas vezes, muito limitada para a questão, sem conseguir atingir as causas mais profundas. É crucial abordar também os problemas mais amplos e trabalhar para permitir que cada criança cresça em um ambiente seguro contra todas as formas de malefícios, e com acesso à educação, saúde, água potável e saneamento. É importante reconhecer que os produtores de cacau e suas famílias se preocupam profundamente com os seus filhos e o futuro que poderão ter. Eles têm um desejo inerente de investir na educação de seus filhos, não só formalmente por meio das escolas, mas também informalmente no cacau e outros cultivos agrícolas. É por isso que estrutura inovadora do Cocoa Life traz a esperança tão necessária, atenção e recursos para essa questão.

Por exemplo2, crianças que frequentam regularmente a escola cada vez estão menos envolvidas em trabalho infantil na cultura do cacau. Consequentemente, o acesso à educação de boa qualidade é um fator muito importante na luta contra o trabalho infantil. Um obstáculo ao acesso à educação na Costa do Marfim é a falta de certidões de nascimento. Sem elas, as crianças podem não ser admitidas na escola ou impedidas de inscreverem-se para exames escolares. As crianças sem certidão de nascimento podem enfrentar outras dificuldades também na aquisição de outros serviços e benefícios para os cidadãos registrados, tornando-os mais vulneráveis ao trabalho infantil. O processo administrativo de obtenção de certidões de nascimento pode ser longo e árduo. Os parceiros do programa Cocoa Life com a CARE International ajudam as crianças em idade escolar por meio do processo e, como resultado, centenas de crianças adquiriram certidões de nascimento. Apenas este documento formal pode causar um impacto tão grande.

A resposta do desenvolvimento da comunidade, com o bem-estar das crianças no coração, cresce e se consolida com sistemas de apoio e infraestrutura existentes, tais como da educação, proteção social e saúde, de modo que essas comunidades ficam melhor capacitadas para cuidar adequadamente de seus filhos. Esta filosofia, que reconhece que cada criança precisa de um ambiente seguro para se desenvolver e progredir, é o modo sustentável de seguir adiante.

O sumário executivo e a reportagem completa da avaliação do Embode em Gana e Costa do Marfim podem ser baixados na biblioteca.

Leia também o blog de Cathy Pieters & Aidan McQuade na publicação das reportagens.


  1. Incluem as comunidades de cacau Cocoa Life e fora do Cocoa Life. 
  2. Por exemplo, veja Baker, Simon - 'Trabalho Infantil' e Prostituição Infantil na Tailândia: Mudando Realidades, White Lotus Press, 2007, e Weiner, Myron. A Criança e o Estado na Índia; Trabalho Infantil e a Política da Educação em Perspectivas Comparativas. Princeton, Nova Jersey: Princeton University Press, 1991. 
Combate ao trabalho infantil
Do nosso parceiro ICI

"A única forma de realmente abordar a questão do trabalho infantil é conhecer as múltiplas causas-raíz, para tanto, é necessário reunir diversas habilidades. É, por isso, que a cooperação das parcerias da Cocoa Life é particularmente importante. Como a propagação do programa, o Cocoa Life terá um efeito transformador nas comunidades nas quais está implementado e um impacto importante em uma grande parte do combate do trabalho infantil."

Nick Weatherill, Diretor Executivo da Iniciativa Internacional do Cacau

Compartilhando as nossas descobertas
Do nosso parceiro Anti-Slavery International

"A abordagem holística do Cocoa Life leva em consideração a importância de assegurar que seus esforços tenham credibilidade e integridade. Interessados em uma abordagem ao trabalho infantil e escravidão podem aprender muito a partir do documento guia sobre trabalho infantil do Cocoa Life, o qual trabalhamos juntos para desenvolvê-lo e publicá-lo.

Ainda McQuade, diretor da Anti-Slavery International, e consultor do Cocoa Life